.

quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

Abraão, o Intercessor


Pr Edmilson

Gn 18.16-33


Após a partida dos dois anjos, Deus revelou a Abraão o que iria fazer às cidades de Sodoma e Gomorra. Ele ira destruí-las. O motivo para isso era sua iniqüidade cujo clamor havia chegado aos céus. Deus viria exercer juízo sobre duas cidades que se encontravam numa impiedade tal que fazia com que o único remédio fosse a destruição total. Com esta revelação, Deus estava mostrando que não era o Deus de uma tribo somente, nem de um povo só, nem de uma instituição. Ele era, e é, o Juiz de toda a terra. Deus estava mostrando que, apesar da queda e do afastamento do homem por causa do pecado, Ele continua supervisionando sua criação a fim de que a terra não se torne um lugar impossível de se habitar.

Ao receber a revelação do que iria acontecer com a cidade onde seu sobrinho morava, Abraão fez o que nós devemos fazer, começou a interceder pelas cidades. Ainda hoje, Deus mostra determinadas coisas que irão acontecer tanto a nós quanto com outras pessoas. Não era só Abraão que era amigo de Deus. Aos seus amigos de hoje, Deus revela coisas acerca de eventos futuros. Mas, nós não devemos nos render a um fatalismo do tipo “o que tiver que acontecer acontecerá”, pois, através de nossas orações, muitas coisas podem mudar.

Através do diálogo entre Deus e Abraão, vemos que não é simplesmente pela iniqüidade dos homens que vem o juízo de Deus, e sim, pela ausência dos justos. Se houver pelos menos dez justos numa cidade, há esperança para ela. A falta do “sal da terra”, trás a deterioração e degeneração a este mundo.

A oração de Abraão não fez com que Deus mudasse de idéia em relação à destruição das cidades, mas fez com que seu sobrinho fosse tirado de lá antes desta destruição chegar. Sempre há algo que Deus pode fazer em resposta às orações de seu povo.

2 comentários:

  1. Olá!

    Venho da comunidade Blogueiros Evangélicos, no Orkut.

    Faço agora uma reflexão bíblica sobre uma parábola para compartilhar com você e seus leitores e juntos possamos ser edificados.

    Vejamos o depempenho do pastor na parábola Cem Ovelhas. O pastor perde uma delas. O que faz? Esqueçe-a? Não. Ele deixa as 99 num lugar seguro e sai desolado pelo caminho de volta para encontrar a ovelha perdida. Acha-a, coloca-a nos braços e volta para sua casa contente. Reagrupa-a entre as outras ovelhas. Comemora o reencontro com os amigos. Vemos dedicação total! Amor imenso por parte daquele pastor! (Lucas 15.4-7).

    Esta atitude de amor e insançável busca é a atitute do coração missionário!

    Abraço.

    E.A.G.
    http://belverede.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Primeiramente ao adentrar nesta página reconheço seu valor e a importância de seu autor(a) para a nobre causa do Senhor Jesus Cristo.
    Dito isso, quero convidar você que está lendo estas minhas palavras, a prestar um pouco mais de atenção as revelações do Espírito Santo Verdadeiro em nossos dias. Por se tratar de um assunto de interesse universal, pediria sua amável atenção, em uma breve, mais com certeza, produtiva visita ao nosso blog, onde estão depositadas Revelações do Senhor Jesus Cristo, para as quais peço encarecidamente que nos ajude a divulgar. Pois estamos vivenciando um memento muito sensível da palavra profética. Desde já suplico as bênçãos do Pai, do Filho e do Espírito Santo Verdadeiro sobre todo aquele que atender esse nosso chamado em nome do Senhor Jesus Cristo. Clique em martins111 - João Joaquim Martins. OU http://joaorevela.blogspot.com/

    ResponderExcluir